Crudívoras, Guia de germinação e brotos, Receitas

Guia de germinação e broto

Abaixo seguem informações da Conceição Trucom, nossa referência em alimentação e inspiração de vida.

“Este é um presente em homenagem a todas as mães do mundo: de todos os reinos, de todos os níveis de consciência, principalmente aqueles que abundam de luz para clorofilar e crescer em despertar.

Esta é uma tabela, elaborada por mim, com o intuito de ser o mais amigável possível, já que são muitos dados para tabelar. Entretanto, apesar de conter a experiência prática de crudivoristas que vivem na região sudeste do Brasil, traz referências importantes sobre as várias formas de germinar e brotar as principais sementes disponíveis, conhecidas e testadas.

O que é a Tabela de Germinação?

Trata-se de uma tabela que resume anos de experiência de crudivoristas sobre os melhores tempos para a germinação e brotação de diversas sementes oleaginosas, cereais, leguminosas e ervas-hortaliças, separados por tipo de germinação: água, terra e ar.

Lembrando que germinados e brotos são PANC, já que alimentos não muito convencionais. Nosso sonho é mudar essa história, praticando a Alimentação Crua e Viva cada dia com mais frequência, consistência e determinação. Neste momento deixarão de ser PANC e passarão a ser rotina, convencionais amigos do seu detox, saúde e lucidez!

Quer saber mais?

Seja assinante Doce Limão e tenha acesso aos cursos online da Conceição Trucom, mais palestras e inúmeros conteúdos exclusivos. Entre os cursos, você terá acesso ao “Germinação: Curso online”, em 5 aulas, com muitas técnicas e receitas da Alimentação Viva. 

Separei por tipos de sementes: oleaginosas, cereais, leguminosas e ervas-hortaliças, porque penso que facilita bastante o entendimento e a percepção dos tipos que guardam semelhanças…  

(a) Os brotos precisam de muita água para o crescimento. Ideal lavar 2 a 4 vezes por dia. Tirar a casquinha antes do consumo. Seu paladar em geral é suave, ótimo para a transição alimentar e crianças. Crescem rápido em clima quente. Devem receber luz indireta, jamais sol direto.

(b) Ideal tirar a pele antes de consumir, principalmente para crianças.

(c) É fundamental tirar a pele e observar o estado das sementes. Se houver pontos pretos ou cor anormal, descarte a semente. Se o percentual dessas sementes com problemas for acima dos 10%, descarte tudo e troque de fornecedor. 

(d) Até aparecer o “narizinho”.

(e) Algumas sementes ao serem descascadas ficam sem germe e não irão germinar. Mas ao colocá-las na água desencadearão seu “potencial germinativo”, como é o caso da aveia, cevada, cevadinha e girassol sem casca. Em geral, germinam no máximo 30%. Com molho de 8 a 12 horas ficam macias para consumo. Para produzir brotos é necessário conseguir sementes com maior capacidade germinativa.

 (f) A castanha de caju, castanha-do-pará, mesmo as vendidas como cruas, normalmente já passaram por um processo de “cozimento” para serem extraídas de suas “castanhas”. Não são, portanto, sementes germináveis. Mas, colocá-las na água potável, por 4-8 horas, irá diluir seu potencial calórico e torná-las mais digestas. No caso do cacau, já fermentado, a função é somente de reidratação. 

(g) Procure um coco seco em bom estado, que não esteja rachado e que contenha água em seu interior. Deixe “naufragado” na água (em bacia ou tigela) no mínimo por 7 dias, lavando bem (esfregando com as mãos) sob água corrente e trocando a água uma vez ao dia.

(h) Sementes que não germinaram (duras) devem ser descartadas.

(i) No escuro para que os brotos fiquem macios.

(j) Amarga se ficar mais de 8 horas no ar. Não use gergelim sem casca pois mesmo que germine terá sabor muito amargo.

(k) No verão, germina com menos horas no ar. No inverno, são mais horas no ar. Quanto menor a semente mais rápida a germinação. No caso dos cereais – trigo, centeio e cevada – outra variável é o que se deseja preparar. Uma semente mais macia para mastigar inteira, fazer pães ou biscoitos, maior tempo de germinação (24 a 36 horas), enxaguando diariamente pela manhã e à noite.

(m) A linhaça deve ser hidratada em 1:5 partes de água filtrada (ou de coco verde). Ou seja, para cada 2 colheres (sopa) de semente, use 10 colheres (sopa) de água. Ela formará uma mucilagem (um gel) durante a sua hidratação, que não precisa ser lavada, desde que se consuma somente a dose diária recomendada (2 colheres de sopa/adulto ou 1 colher de sobremesa ou sopa/criança até 12 anos), quando o teor de ácido fítico residual atua beneficamente como antioxidante. Com 8 horas de hidratação já pode ser consumida no preparo de sucos e receitas em geral. Porém, deixando-a no próprio recipiente de vidro por mais 8 horas, terá seu potencial germinativo otimizado.

 (n) – Semente que, apesar de brotar, melhor se consumida antes do narizinho aparecer, pois poderá ter gosto ruim.

 (o) A Embrapa está desenvolvendo produção adaptada às condições brasileiras (região Goiás e Mato Grosso). A oferta comercial ainda é pequena. Enquanto não temos produção nacional, o melhor substituto é o trigo sarraceno.” 

Referência, Doce Limão

Deixe uma resposta